O exercício de autoconhecimento através da escrita talvez seja a ferramenta de desenvolvimento pessoal e emocional de que está à procura. Imagine como será poder cultivar uma maior autoconsciência, mais serenidade emocional, mais bem-estar, mais foco positivo. Ora, o que tenho agora para consigo hoje é um processo simples e poderoso que, o fará adquirir uma maior autoconsciência de si e programar a sua mente de uma forma positiva, através de pequenos passos. Estou a falar-lhe de escrever sobre si próprio!

O seu propósito ao aderir à prática deste exercício de autoconhecimento, pode ser gerir melhor as emoções, aumentar o foco nos objetivos… ou até elevar a autoestima. O caminho faz-se caminhando. E talvez esteja disponível para começar a alimentar um diário agora.

A evolução pessoal através da escrita é um processo notavelmente simples! E pode sossegar, não necessita de possuir dotes literários e pode guardar o que escreve para si próprio. Apenas vai precisar usar a sua própria forma de escrever e manter uma prática regular. O que importa é que possa começar a fazê-lo agora e comprometer-se com essa tarefa. Para facilitar o compromisso, e se fizer sentido para si, pode informar algumas das pessoas mais relevantes e motivadoras da sua vida da sua intenção. Quando experimentar este método talvez fique surpreendido com os resultados significativos que pode obter, escrevendo.

As palavras tendem a libertar o “coração” do mal-estar causado pela insegurança, ansiedade, pensamentos negativos, etc.

 

Como é que escrever pode ser um exercício de autoconhecimento

Ao contarmos os nossos problemas – falando livremente sobre eles – podemos ganhar uma maior autoconsciência das nossas emoções. Sobretudo, quando as registarmos numa folha de papel.

Quando traduzimos a emoção numa linguagem verbal, acedemos à possibilidade de compreender e controlar a forma como agimos, quando determinada emoção está presente. Afinal, quando escrevemos sobre as emoções ganhamos uma maior consciência da sua presença. Pois, muitas vezes, as nossas ações surgem como mecanismos automáticos e não intencionados! As emoções surgem perante os acontecimentos sem que tenhamos pensado nelas antes. E, por vezes, conduzem as nossas ações e não favorecem os resultados que desejamos alcançar.

As emoções chegam e, muitas vezes, nem chegamos a tomar consciência da sua presença. No entanto, tem o poder de tomar conta das nossas ações num ápice de tempo e, tal como as perguntas sem resposta, alimentam a incerteza, o medo, os pensamentos negativos e imaginação de desfechos catastróficos.

E se chegou até aqui é porque conhece a importância dos exercícios de autoconhecimento para o nosso desenvolvimento pessoal. Por isso, quero que saiba que a minha intenção é oferecer-lhe algumas sugestões de como usar a escrita para fortalecer a sua autoestima, ganhar mais autoconsciência e aprender a programar positivamente a sua mente.

 

As emoções e o seu impacto

As emoções, que vão fervilhando abaixo do limiar da consciência, podem ter um impacto poderoso na maneira como percebemos as situações e reagimos a elas, sem que tenhamos qualquer ideia de que estão em ação.

Em que momentos não aproveita as oportunidades porque a insegurança toma conta da situação? Quantas vezes fica calado quando gostaria de dar a opinião? Com que frequência reage com raiva em vez de expor o seu ponto de vista com ponderação? Em que situações isso acontece? Quantas vezes se perde em preciosismos em vez de cumprir um prazo? Em que circunstâncias fica bloqueado pelo medo de alguma coisa que, concretamente, nem sabe o que é?

As emoções das quais não tomamos consciência, tem o poder de tomar conta das nossas ações num ápice de tempo e, tal como as perguntas sem resposta, alimentam a incerteza, o medo, os pensamentos negativos e imaginação de desfechos catastróficos.

A minha intenção é oferecer-lhe algumas sugestões de exercícios que pode passar a praticar no âmbito do seu diário positivo.

 

Como funciona o exercício de autoconhecimento

Em primeiro lugar, pode começar por comprar um caderno (ou se preferir criar uma pequena pasta no seu PC), onde vai registar o que se passa consigo. Se lhe fizer sentido, pode ser boa ideia dar-lhe um nome – “diário positivo” ou “caderno de exercícios para uma mente positiva”.

O objetivo é que possa dedicar diariamente 15 a 30 minutos ao exercício de escrever no seu diário positivo. Escrever sobre o quê? O sente, o que pensa, as suas conquistas diárias… E, dessa forma, facilitar um maior nível autoconsciência, descobrir o seu valor, reforçar as suas conquistas, traçar metas e objetivos.

A escrita tem o poder de programar a nossa mente para as ações positivas que queremos desenvolver. O que escrevemos fica registado e pode ser revisitado! Para facilitar o processo, ofereço-lhe, aqui, algumas sugestões de exercícios para praticar escrevendo no seu Diário Positivo:

 

1. Exercício de autoconhecimento: Descobrir as emoções

​Este é claramente um exercício de autoconhecimento que o pode fazer perceber que “gatilhos” fazem disparar certas e determinadas emoções dentro de si.

Claramente, este é um exercício de autoconhecimento que o pode fazer perceber que “gatilhos” fazem disparar certas e determinadas emoções dentro de si.

Neste exercício pode escrever a respeito de alguma questão que o preocupe no momento. Talvez um desafio que esteja a viver ou uma situação pela qual tenha passado. Numa fase inicial, é importante que reencontre esses acontecimentos e que aceda à memória daquilo que observou – o que viu, ouviu, cheirou, sentiu.

É também importante que recorde o que acontece dentro de si – as emoções presentes (medo, ansiedade, raiva, …) e como se expressam no seu corpo.

Nos primeiros momentos, quando começar a escrever sobre esse tema poderá ter tendência para valorizar os sentimentos negativos. Mas, o importante é que perceba e registe a forma como as suas emoções se arquitetam, e descreva os comportamentos que delas resultam. No final, dedique alguma da sua atenção encontrando aprendizagens e significados positivos nos desafios, registando-os no diário positivo.

É importante que consiga questionar-se sobre as suas emoções, pois escrevendo vai aprender a tomar mais consciência delas – quais dos seus primeiros sinais, como se manifestam – e vai aprender a explorar novas formas de reagir em circunstâncias semelhantes.

 

2. Exercício de foco positivo: Definir intenções

De manhã – ou se fizer mais sentido para si, no final do dia anterior – pode começar a registar a sua intenção para o seu dia. A definição da intenção pode contemplar um sentido lato de como se quer sentir e o que vai fazer para isso. Pode também ser importante incluir uma lista das tarefas específicas que pretende realizar.

Quando fazemos uma lista de intenções e de tarefas estamos a programar a nossa mente para se focar nelas. Por outro lado, se ao longo do dia nos perdermos da nossa intenção, podemos consultar o que escrevemos e reforçar o nosso foco.

Assim, quando escreve o seu plano de intenções para o seu dia – como quero que seja o meu dia, o que quero fazer especificamente, como me quero sentir, … – pode revisitá-lo e relê-lo durante o dia para conectar o seu foco com as suas intenções. Certamente, praticando este exercício, vai acabar por descobrir que, há medida que vai sintonizando o foco da sua atenção com a sua intenção, pode conquistar os pequenos grandes feitos que compõem um todo. Guiando-se pelo plano que define diariamente vai melhorar tanto os seus resultados, como a forma como se vê e, sem dúvida, sentir-se mais focado e realizado.

 

3. Exercício de ancoragem positiva: Registar as conquistas

O exercício que que lhe falei no ponto anterior permite, ainda, reforçar a autoconfiança, quando se confirma que a nossa intenção foi, pelo menos, parcialmente cumprida. E isso, alimenta boas sensações e reforça pensamentos positivos à cerca de nós mesmos.

Assim sendo, faz sentido que também possa escrever sobre as suas conquistas e o que sente nessas circunstâncias. Lembre-se que, nada do que nos faz sentir bem é insignificante!

Escrevendo sobre aquilo que alcança e consegue, ganha a oportunidade de mais tarde o poder reler. E, quando sentir que está a questionar o seu valor, pode recordar as suas conquistas e, conectando-se com esses momentos, alimentar pensamentos positivos sobre si mesmo.

Afinal, o que escreveu de positivo pode funcionar como uma alavanca motivadora de novas ações positivas, nos momentos seguintes.

 

4. Exercício de autoconhecimento e autoestima: Descobrir e registar qualidades

Pode dedicar uma parte do seu caderno para escrever diariamente um conjunto mínimo de seis características positivas que sente que estão disponíveis em si, nesse dia, e registar a data. Características positivas podem ser coisas que considere que sabe fazer bem, talentos, atitudes e as suas melhores qualidades. Lembre-se, o que diz sobre si é importante, por isso,  nada é insignificante! Estas listas vão permitir que se encontre com uma perspetiva mais ampla do seu valor e possa alimentar a autoestima.

Quando começar a praticar este exercício vai perceber como, cada vez, será mais fácil encontrar e descobrir novas qualidades em si mesmo. Esta prática dá-lhe a possibilidade de manter um foco mais positivo das suas características. E dá-lhe a oportunidade de, quando se sentir mais desanimado, relendo essas páginas, voltar a reencontrar-se com a sensação positiva que se associa a essas qualidades.

 

5. Outros exercícios positivos

No diário positivo cabem todos os exercícios que facilitem uma maior autoconsciência, programem focos positivos e possam aumentar a autoestima. Não existem limites aos exercícios passíveis de caberem no seu diário positivo.  Cada pessoa, pode imaginar um sem número de exercícios para a ajudarem a descobrir mais sobre si mesma e encontrar motivos para se sentir feliz e realizada.

O que fizer sentido para si, o que o ajudar a ligar-se a ações positivas, o que alimentar o seu autoconhecimento e facilitar o seu bem-estar, cabe no seu diário positivo! Talvez queira incluir um esquema de metas e objetivos. Ou desenhar um plano de ação e registar pequenas conquistas. É possível que queira falar sobre as dificuldades que tem e de como se sente relativamente ao que sente sobre isso. Talvez queira escrever sobre a forma como ultrapassou um desafio, ou o modo como ultrapassou um medo e controlou as suas ações. Ou, pelo contrário, como fez para não se controlar, que resultado obteve e o que aprendeu com isso. Pode também querer escrever sobre a forma como conseguiu mudar um comportamento questionando uma crença antiga. Ou …. o que fizer sentido para si.

O que importa é que se descubra e escreva as suas aprendizagens, mantendo um foco positivo. As palavras que escreve têm poder! Use-o a seu favor!

 

Lembre-se as palavras escritas são mais poderosas

Agora que sabe que escrever é um exercicio de desenvolvimento pessoal. Lembre-se que, as palavras têm o poder de o fazer encontrar-se consigo mesmo, aprofundar a consciência de si próprio e aprender a valorizar-se. Aproveite este exercício de autoconhecimento para se transformar no seu melhor amigo!

 

Texto | Té Monteiro

Fotografia | StockSnap

Newsletter!

Registe-se agora e receba inspiração, dicas e as novidades Happy Flow na sua caixa do correio.

Recebemos o seu pedido de registo. Confirme, por favor, a subscrição no e-mail que lhe enviamos.

Pin It on Pinterest

Share This